Turquia não vai aceitar a declaração da União Europeia sobre o Genocídio Armênio

O ministro e negociador-chefe da Turquia na União Eurpea, Volkan Bozkir, disse que algumas das disposições do relatório anual do Parlamento Europeu sobre a Turquia são inaceitáveis, incluindo a declaração do Parlamento Europeu sobre o genocídio contra o povo arménio em 1915, a exclusão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) da lista das organizações terroristas ea chamada para congelar ajuda financeira antes da adesão da Turquia da União Europeia.

Bozkir disse em uma carta aos funcionários da UE sobre as disposições que seriam inaceitáveis ​​para o governo turco.

Ele também advertiu contra o “conteúdo unilateral” que pode afetar negativamente as negociações sobre o acordo na disputa com Chipre.

O Parlamento Europeu instou a Turquia a reconhecer o Genocídio Armênio e ratificar os protocolos entre a Arménia ea Turquia, sem pré-condições.

Compartir